Consultório de Endocrinologia e Obesidade

Dr. Nelson Vinicius Gonfinetti - CRM 50.742

A farsa das dietas milagrosas

Acredita-se que o mundo moderno está se tornando mais sedentário e obeso, e digo isto baseado nos dados assustadores publicados e comprovados na imensa maioria dos paises. Li recentemente que cerca de 1/3 das crianças de todo mundo estão com excesso de peso. O que será que nos reserva a evolução, no que se refere ao futuro desta geração de baixinhos pesados? Parece mesmo que a humanidade não está evoluindo, mas caminhando para uma autodestruição.

Torna-se comum, ao menos uma vez na vida, nos depararmos com o dilema de tentar emagrecer. O primeiro pensamento é aquele do "vou tentar fazer minha dieta por que deve ser fácil...", ou apelar para uma daquelas dietas milagrosas que já fazem parte da cultura geral. Estão em todas as revistas e são de fácil acesso.

Já podemos adivinhar o resultado: insucesso! As desculpas vencem a tentativa, justificando-se pelas dificuldades alheias ao motivo.

Estudos já sedimentados da literatura mostram que não existem métodos mágicos para que se perca peso, alem do que esta perda de peso só pode ser sustentada com uma modificação importante nos hábitos de vida.

Como medico endocrinologista há mais de 20 anos, posso confirmar que nenhuma dieta restritiva tem efetividade. Na verdade, chego à conclusão de que o melhor mesmo sequer é fazer uma dieta, mas sim corrigir o erro alimentar que levou ao excesso de peso.

Um estudo divulgado pela ABESO mostrou dados interessantes da analise de dietas publicadas nas revistas leigas. De 112 dietas publicadas nos ano de 2.000 nas revistas e jornais de grande circulação, todas se mostraram inadequadas em algum dos nutrientes importantes para uma alimentação adequada. Em mais de 90 % delas havia carência ao menos em ferro e vitamina E.

Convenhamos, alguém conhece uma pessoa sequer que tenha obtido sucesso com uma destas dietas? Sempre achei que a modelo que foi referencia da publicação, geralmente esquálida e com aspecto de desnutrida, deve ser o único caso que conseguiu fazer aquela dieta. Fica claro que esta mesmo é faltando bom senso...

Analisando um pouco mais à frente, naquelas dietas de conhecimento mais amplo, como as "milagrosas" do Dr Atkins e de South Beach, alem das nacionais "da USP" e dos "carboidratos", as conclusões não são muito diferentes. Estes mesmos argumentos se repetem, porem e oficial que algumas podem ate fazer mal a saúde.

Dietas restritivas são incompletas nutricionalmente falando, monótonas e existe uma alta chance de se desistir durante o tratamento.

O importante mesmo é não se chegar um peso muito acima do esperado para a altura, mantendo esta relação adequada. E deve-se agir antes do estagio da obesidade, pois neste caso as dificuldades serão inacreditavelmente maiores em se conseguir sucesso na perda de peso.

O corpo humano, de tão perfeito, manda sinais hormonais e nervosos, que agem nos centros da saciedade e do apetite, impedindo que perca peso em definitivo. O índice de recuperação de peso chega a 95 % em dois anos após uma dieta. É a perfeição da evolução do corpo humano permitindo a perpetuação do grande mal do 3º milênio.

Não há milagres. Temos que nos contentar com o azar da genética, e batalhar contra a corrente desta geração de obesos que está chegando. Muita luta e esforço pessoal, somente assim conseguimos vender a balança. Uma luta que começa na infância mesmo.

Indique para um amigo

Gostou das informações que você encontrou aqui ?
Caso queira indicar esse site para algum amigo, basta preencher os campos abaixo: